Configurar DNS para e-mail: um guia rápido para iniciantes

ArtigosCategory
8 min read
Rafael Queiroz Bastos

O Sistema de Nomes de Domínio costuma confundir muitas pessoas. Se você é uma delas, não se sinta mal. É por isso que hoje vou te ensinar a configurar DNS para e-mail.

Primeiramente, é importante frisar que geralmente o usuário não precisa aprender como usar o DNS, pois ele já vem com todas as configurações padrões definidas pelo provedor de hospedagem.

Entretanto, em alguns casos pode ser que o usuário precise mexer em algumas configurações para melhorar o desempenho e velocidade da conexão, por exemplo.

Nesse conteúdo, vamos falar especificamente como configurar DNS de domínios de e-mail. Mas, afinal o que é DNS de e-mail? Para que serve o DNS na comunicação de correio eletrônico?

Tenha a resposta para essas e outras perguntas acompanhando nosso guia sobre como configurar DNS de e-mail até o fim. Boa leitura!

O que é DNS?

DNS significa Sistema de Nomes de Domínio. Ele é responsável por conectar nomes a servidores. Sempre que você se conecta à internet e vai a algum lugar, você está usando um deles.

Funciona da seguinte forma:

  • seu navegador: entra na godaddy.com.br;
  • seu computador: conecta ao servidor DNS e mostra qual servidor o site está usando;
  • DNS: diz que godaddy.com.br está no endereço de IP XX.XXX.XX.XXX;
  • seu navegador: vai a esse IP e busca pelo site.

Os registros de DNS traduzem o domínio do endereço de IP do servidor que o hospeda. Então, nesse caso, você buscou por godaddy.com.br e ele te disse onde ele estava hospedado. O servidor é responsável por carregar o site que é compatível com o domínio digitado.

Para este artigo, falaremos de CNAME, A Records, MX Records e SPF/DKIM.

O que é DNS de e-mail?

O DNS é um serviço para conexão e identificação entre os servidores de domínio de um remetente e destinatário de uma mensagem no correio eletrônico.

Quando alguém envia uma mensagem para outro usuário via e-mail, o servidor do e-mail do remetente identifica no DNS qual o servidor do domínio do destinatário para que assim o envio da mensagem seja concluído.

Imagine, por exemplo, que você vai enviar um e-mail para nomedovendedor@nomedaempresa.com.br. Nesse sentido, o servidor do seu endereço de e-mail vai usar o DNS para encontrar o servidor do domínio “nomedaempresa”, o que torna a comunicação entre os dois usuários possível.

O DNS de e-mail tem algumas peças-chaves para a identificação desses dados, como o Mx Records. Vamos falar sobre ele para aprofundar nosso conhecimento sobre como configurar DNS!

O que são registros MX (troca de e-mails)?

Registros MX nos permitem especificar onde o e-mail deve ser entregue. Depois, priorizam a entrada de servidores que recebem mensagens enviadas ao seu domínio.

Adicionar registros MX é a parte mais fácil disso. Se você está usando serviços como o G Suite, o seu status será assim:

Esses registros estão mostrando o servidor de envio, quando são mandados a sideways8.com, recebem em aspmx.l.google.com; Se o servidor não aceita o e-mail, então o envia para alt1.aspmx.l.google,com.

O que são CNAME e A Records?

Entendido o que é DNS de e-mail, vamos falar agora de outros fatores importantes para a conexão entre servidores: o CNAME e o A Records. Eles são as formas mais comuns de registro. E, provavelmente, as mais fáceis de se explicar.

  • A record: te diz onde o domínio está. Geralmente, ele está representado por um @, que significa suaempresa.com;
  • CNAME: é um nome para dizer que o www de seusite.com é do mesmo servidor.

Entenda com o exemplo abaixo:

Como um e-mail é enviado e recebido?

Quanto mais e-mails passaram a ser enviados ao redor do mundo, mais spam apareceu. Antigamente, os servidores poderiam mandar mensagens que seriam facilmente recebidas por outros servidores. Hoje em dia, é preciso checar os registros de DNS para entender se existe uma permissão para enviar ou receber e-mails.

Isso porque qualquer pessoa pode mandar um e-mail fingindo ser outro. Basta criar um servidor que mande como carlos@suaempresa.com dizendo que eu sou maria@suaempresa.com. Se o seu servidor não tiver um sistema de verificação, esse e-mail será aceito.

Por que saber como configurar DNS de e-mail?

Se você é dono de um pequeno negócio e está mandando e-mails como contato@suaempresa.com, você deveria se importar, caso contrário, eles não serão enviados. Se os registros DNS não estiverem lá, os e-mails provavelmente não vão chegar.

Isso é uma realidade, também, para envios de e-mail em geral. Os servidores vão checar se você tem permissão para receber ou enviar com base nos registros de DNS.

O que bloqueia os envios?

Os filtros de spam foram desenvolvidos para detectar e-mails legítimos e eles usam as seguintes tecnologias para selecionar as mensagens. São elas:

SPF: Sender Policy Framework

Ele avalia se o endereço de IP está permitido a mandar e-mail por suaempresa.com.

As respostas são: aceitar, rejeitar e aceitar, mas enviar como spam.

Você precisa de um registro para todos os serviços que mandam e-mails em suaempresa.com. Por exemplo: se você está usando MailChimp, você deve adicioná-lo.

DKIM: DomainKeys Identified Mail

Ele verifica a sua assinatura digital no servidor de envio. Essa assinatura está localizada no cabeçalho da mensagem e o remetente e o agente de transferência gera essa assinatura ao usar um algoritmo aplicado ao conteúdo, criando uma corrente de caracteres únicos.

DMARC: Domain-based Message Authentication, Reporting and Conformance

O DMARC verifica se o SPF e o DKIM ocorreram e, depois, recorrem aos seus sistemas para entender o que fazer caso o e-mail seja aceito ou rejeitado.

Como configurar DNS de e-mail?

Depois de cobrirmos os básicos, vamos entender como configurar DNS para e-mail. 

1. Configurando os registros MX

Você precisa seguir as instruções e garantir que os seus registros se parecem ao exemplo mencionado anteriormente. Eles citam o G Suite, pois é o que foi utilizado aqui. Porém, se você está usando outro servidor, verifique se está usando a informação correta do provedor.

Diferente do A Records e do MX, DKIM e SPF não têm seu próprio prefixo ou tipo de registro. Eles usam o registro TXT e, quando você os adiciona, especifica qual o tipo.

2. Adicionando registros de SPF

Este é um exemplo de um registro SPF:

“v=spf1 mx -all” permite que o domínio mande e-mails de registros específicos, proibindo outros. Por exemplo: se seu serviço é o G Suite, então isso vai permitir um e-mail dos servidores do Google, mas outros servidores não vão conseguir.

Se você precisar, também, mandar pelo seu CRM, AWS SES, SendGrid ou outro serviço, você vai precisar que os registros DNS permitam.

Seu registro pode se parecer a isso: 

v=spf1 a mx include:teamworkdesk.com

include:spf.mandrillapp.com ~all

Apenas adicione outro “include:service_name.com” para o mesmo registro. Para garantir, sempre leia as instruções do serviço que está usando.

3. Adicionando registros de DKIM

É bastante simples: encontre o serviço que você precisa e copie e cole seu registro DKIM daquele serviço. O do MailChimp é mais ou menos assim:

Ele tem 216 caracteres e você deve ter DKIM separados para cada serviço.

E se os e-mails do seu site não estão sendo recebidos? Existem alguns fatores que envolvem essa situação. Pode ser que o seu domínio tenha entrado em uma lista negra, por exemplo.

Você pode testar ao usar as ferramentas do MX. Se este não é o caso, é recomendável usar um serviço transacional como o SendGrid. 

Como escolher o melhor DNS?

Conheça o DNS Premium da GoDaddy e conte com um provedor com ampla credibilidade e boa reputação no mercado. Com ele, seus sites e outros domínios, como o de e-mail, serão facilmente encontrados pelos outros usuários em qualquer parte do mundo.

Ele é fácil de gerenciar e tem proteção contra possíveis instabilidades, como queda de energia, problemas de roteamento, etc.

Adquira o DNS Premium agora mesmo e garanta o máximo da performance, segurança e disponibilidade aos seus domínios!

Gostou de entender como configurar DNS para e-mail? Então continue lendo conteúdos como esse no blog da GoDaddy Brasil!