Blackhat — O Que É E Quais Os Reais Perigos Dessas Técnicas

ArtigosCategory
5 min read
Nadjine Terhoch

Às vezes, no intuito de buscar todas as alternativas para conseguir bons resultados na internet, muitas pessoas que gerenciam sites acabam realizando ações consideradas contra as diretrizes do Google. A plataforma, para mapear essa série de práticas que não devem ser realizadas, criou uma listagem com o chamado blackhat.

Quer saber o que é proibido segundo as diretrizes e quais as consequências para esse tipo de atitude? Então continue lendo esse post!

O que é blackhat?

Blackhat é o conjunto de ações ilegais utilizadas para impulsionar um site na internet, que funcionam como um atalho para obter os resultados desejados. O termo ganhou popularidade porque, em inglês, ele é utilizado para falar sobre hackers que fazem violações de segurança para benefício próprio ou para prejudicar alguém.

E a comparação é válida: sempre que você executar alguma ação não permitida pelas diretrizes do Google, você está atuando com práticas fora das regras para obter algum tipo de ganho pessoal.

Além do blackhat, também existem os conceitos de whitehat — ou seja, boas práticas — e greyhat — técnicas que não são ilegais, mas também não são necessariamente recomendáveis.

Quais são as técnicas consideradas blackhat?

Para deixar os usuários bem informados e evitar que alguém realize algum desses tipos de estratégia pois “não sabia” que era ilegal, o próprio Google disponibiliza em seu site um documento com todas as normas que foram definidas e uma explicação detalhada sobre cada uma delas.

As principais práticas de blackhat para você evitar são:

Automatização de conteúdos

Você sabia que existem robôs que podem gerar conteúdos de forma automática? Além das ferramentas de tradução que não passam por verificação humana antes da publicação, existem criadores de textos que não fazem sentido. Eles costumam utilizar palavras-chave para tentar rankear nas ferramentas de busca.

Plágio

A originalidade é um ponto crucial para as diretrizes do Google. Sites com páginas duplicadas, conteúdos plagiados ou com pouquíssimas alterações também vão contra as normas da empresa. Aqui também vale a combinação de trechos de várias páginas diferentes em uma só.

Essa prática é relativamente comum na internet — o que não a torna menos criminosa. Na tentativa de manipular o PageRank, muitas pessoas fazem trocas de links aprovados ou criam sites para adicioná-los em suas postagens.

Também vale para ações de guestpost com criação de textos âncora com muitas palavras-chave e um link, compra e venda de URLs e usar programas de automação.

Conteúdos camuflados

A premissa é que todo o conteúdo disponibilizado em uma página deve poder ser visualizado pelo usuário. Isso é importante, principalmente, em e-commerces e sites que a pessoa deve fornecer dados, aceitar algum tipo de termo, entre outros casos.

Esconder observações embaixo de imagens ou colocando a cor do texto na mesma do fundo para que não seja possível encontrá-lo é uma prática totalmente ilegal, chamada de cloaking.

Programas de afiliados que não agregam valor

Em programas de afiliados também há uma preocupação com o valor e a originalidade dos conteúdos. Nas avaliações, por exemplo, podem sofrer penalizações aqueles que tiverem descrições copiadas da fonte do produtor.

Além disso, sites cuja maior parte do conteúdo foi destinada para a afiliação e que limita a quantidade de textos originais também não são bem vistos.

Abuso de dados estruturados

Os dados estruturados são marcações que permitem personalização de uma página, como, por exemplo, a avaliação do conteúdo. O exagero nesse tipo de ação ou a identificação de usuários falsos para promover uma nota maior também é uma prática de blackhat.

Páginas semelhantes com redirecionamento

Criar uma série de sites com finalidades semelhantes para redirecionar a uma página só e melhorar os números do destino final não apenas é proibido, como também é uma técnica que deixa os usuários bastante confusos.

Práticas maliciosas

A manipulação do conteúdo de modo que o usuário não perceba também é uma violação das diretrizes. Pode-se destacar:

  • incluir arquivos indesejados em downloads;
  • enviar malwares e spywares;
  • alterar a localização de uma página quando é clicada;
  • inserir anúncios e pop-ups em janelas;
  • mudar as preferências do usuário sem sua autorização.

Quais as consequências de usar técnicas de blackhat?

Sempre que o Google identificar alguma dessas ações, ele poderá aplicar uma série de punições, de acordo com a gravidade da falta.

Primeiramente, eles podem reduzir o tráfego orgânico no seu site ou reduzir o posicionamento do PagRank, por exemplo. Porém, existe a possibilidade do seu site ser banido da internet. Então, muita atenção na hora de executar ações para melhorar sua visibilidade, ok?

Agora que já sabe o que é blackhat, como evitar essas práticas e as penalizações que pode receber, leia mais textos no blog da GoDaddy!