10 Dicas Essenciais de Segurança para E-commerce

ArtigosCategoria
Tempo de leitura:7 min
Jayson DeMers

Quem compra on-line confia nos administradores da loja para protegê-los. Os clientes precisam ter certeza de que podem fazer compras e se envolverem com seu site sem sacrificar ou comprometer seus dados. Se eles não tiverem essa confiança, escolherão os produtos de um concorrente. Mas, a segurança para e-commerce não significa apenas isso.

Trata-se também de proteger seus próprios dados e manter a integridade de seu site, o que é especialmente importante, considerando que 61% dos ataques cibernéticos visam pequenas empresas.

Uma estratégia abrangente de segurança para e-commerce ajudará você se proteger, de modo que hackers, fraudadores e até mesmo desastres naturais não atrapalhem o sucesso do seu site.

10 dicas de segurança na web de e-commerce

Veja 10 dicas para ajudar você a cobrir todas as bases de segurança de sua loja on-line:

  1. escolha a plataforma certa;
  2. use criptografia SSL para check-out;
  3. nunca armazene dados do cliente;
  4. exija que seus clientes usem senhas fortes;
  5. receba alertas sobre atividades suspeitas;
  6. treine seus funcionários;
  7. monitore a atividade do site em tempo real;
  8. tenha um plano para proteger contra fraudes;
  9. atualize e atualize seus sistemas;
  10. faça backup de seus dados.

Agora que você reviu a lista, continue lendo para saber mais sobre cada dica de segurança em detalhes.

1. Escolha a plataforma certa

Se você estiver usando o criador de sites para criar seu website, muitos dos recursos de segurança podem ser incorporados de forma praticamente automática.

Portanto, é interessante pesquisar diferentes criadores, para ver quais níveis de segurança eles oferecem.

A loja on-line da GoDaddy, por exemplo, fornece um SSL (Secure Sockets Layer) integrado, por isso não será um custo adicional para você ou sua empresa manter seu site seguro.

2. Use criptografia SSL para checkouts

Se seus clientes estão comprando produtos diretamente de você, é preciso verificar se o processo de checkout está criptografado com SSL. A criptografia SSL dá ao seu site o status "HTTPS" ao invés de "HTTP" e exibe um ícone de cadeado verde no campo URL do navegador da web de seus clientes.

Mas, mais do que isso, a criptografia protege qualquer informação transferida entre o navegador da web do cliente e seu servidor da web.

Em outras palavras, é muito mais difícil para hackers e cibercriminosos obterem informações pessoais, como números de cartão de crédito.

3. Nunca armazene dados do cliente

Muitos empreendedores tentam criar um sistema que permita armazenar todos os dados de seus clientes em um único local, facilitando o check-out no futuro e dando à sua empresa mais dados para analisar.

No entanto, é muito mais seguro se você confiar dados confidenciais de clientes a terceiros.

Os gateways de pagamento externos fornecerão uma segurança muito melhor do que você e com uma fração do custo. Além disso, se alguma vez houver uma violação de dados, talvez você não seja o único responsável.

4. Exigir que seus clientes usem senhas fortes

Imagine por um momento que seu site é tão seguro quanto possível. Não há mais atualizações ou melhores padrões de criptografia que possam proteger suas informações. Mesmo nesse cenário, seus clientes podem ficar vulneráveis ​​se as senhas acabarem nas mãos erradas. Você não pode se proteger completamente contra essa vulnerabilidade, mas pode minimizar seu impacto fazendo com que os clientes escolham senhas fortes.

Defina um comprimento mínimo para todas as senhas de usuários e dê sugestões de como fortalecer essas senhas.

5. Seja alertado sobre atividades suspeitas

Outro método de segurança na Web de comércio eletrônico envolve a configuração de notificações automáticas em seu site para alertá-lo sobre atividades suspeitas. Até mesmo adições simples, como o CAPTCHA, podem ajudar você a distinguir rapidamente entre usuários autênticos e pessoas que podem estar tentando aproveitar seu site.

É uma maneira fácil de proteger proativamente contra fraudes.

6. Treine seus funcionários

Seus funcionários podem ser bons profissionais, mas se eles tiverem acesso ao back-end de seu site, até mesmo um erro pode ser suficiente para comprometer sua segurança do e-commerce. Por exemplo, se um funcionário escolhe uma senha fraca ou fornece suas credenciais para um esquema de phishing, isso pode abrir as portas para os hackers.

Embora você não possa evitar todos os erros, um pouco de treinamento dos funcionários pode ser muito útil.

Certifique-se de que eles estejam atualizados sobre as práticas recomendadas para segurança de e-commerce.

7. Monitore a atividade do site em tempo real

Há uma variedade de aplicativos e ferramentas on-line que você pode usar para monitorar o modo como os usuários acessam seu site, incluindo o Google Analytics, que oferece visualização de atividades do usuário em tempo real.

Acima e além das ferramentas de análise, procure uma ferramenta de monitoramento de segurança que verificará seu site pelo menos uma vez por dia em busca de atividades suspeitas.

A segurança de sites da GoDaddy, por exemplo, oferece verificações diárias de ameaças, incluindo malware, DDoS, scripts entre sites e outros.

Se você estiver sempre atento ao seu website, poderá perceber se alguém tentar instigar um ataque cibernético ou se houver atividades suspeitas, como um usuário tentando fazer login várias vezes.

8. Ter um plano para proteger contra fraudes

Infelizmente, mesmo com medidas de segurança para e-commerce top de linha, você ainda pode estar vulnerável a fraudes. Há muitos tipos diferentes de fraude, incluindo a de reembolso, quando um consumidor faz um pagamento em excesso em uma compra com um cartão de crédito roubado e solicita reembolso e cobrança de fraude, onde um consumidor falsamente alega que seu cartão de crédito foi roubado para deixar de pagar por bens ou serviços que já receberam.

Você precisa ser informado sobre esses tipos de fraude e ter um plano para protegê-los.

9. Corrigir e atualizar seus sistemas

Quando aplicativos e criadores de sites implantam novas atualizações, eles geralmente são projetados para combater ameaças conhecidas específicas, como erros de software. Se você não pratica uma boa segurança na web e mantém esses aplicativos e sistemas atualizados, pode estar se deixando desnecessariamente vulnerável a uma ameaça que já foi neutralizada pelos desenvolvedores.

10. Faça o backup dos seus dados

Há uma chance de o seu site entrar em colapso, levando todos os seus dados, seja a intenção maliciosa ou não.

A melhor maneira de se proteger contra esses tipos de ameaças é fazer o backup do seu site e fazê-lo regularmente.

Em um mundo ideal, você terá seu site em um backup de atualização permanente, para que você nunca precise se preocupar em perder seus dados se o site ficar inativo.

Segurança da Web de comércio eletrônico em um piscar de olhos

Se você não é um especialista em segurança da web, não entre em pânico. A menos que você esteja gerenciando uma grande corporação, existem ferramentas e serviços disponíveis para você, que podem lhe dar toda a proteção de que você precisa.

Por exemplo, o pacote de ferramentas de segurança na web da GoDaddy permite que você instale e gerencie tudo, de certificados SSL a proteção contra malware e backup de sites, para que você possa manter seu site e seus clientes seguros.

O seu e-commerce tem muito espaço para crescer, portanto, certifique-se de que você tenha a chance de atingir todo o seu potencial.

Produtos Utilizados